Fundação

Esquema tecnológico de reforço e cálculo de reforço para fundações de tiras

Esquema tecnológico de reforço e cálculo de reforço

O reforço da fundação é o processo necessário para fortalecer a estrutura e aumentar a vida útil do edifício. Em outras palavras, esta é a montagem do “esqueleto”, que desempenha o papel de um componente de proteção que restringe a pressão do solo nas paredes da base. Mas, para que essa função seja realizada ao máximo, é necessário não apenas calcular corretamente o reforço da fundação da tira, mas também saber organizar o andamento dos trabalhos de construção..

 

Conteúdo

  • Como reforçar uma fundação de tira
  • Diagrama da estrutura de reforço
  • Cálculo do consumo de material

 

Como reforçar uma fundação de tira

A fundação da fundação tipo fita é uma argamassa de concreto composta de cimento, areia e água. Infelizmente, as características físicas do material de construção não garantem a ausência de deformação da base do edifício. Para aumentar a capacidade de suportar mudanças de fundação, mudanças de temperatura e outros fatores negativos, é necessária a presença de um metal na estrutura.
Este material é plástico, mas fornece uma fixação confiável; portanto, o reforço é uma etapa significativa no complexo de obras.

O metal fixará firmemente o quadro

Reforço para fundações de tiras – barra de aço com reforços

O reforço da fundação é necessário em locais onde possam ocorrer zonas de tração. Note-se que a maior tensão aparece na superfície da base, o que cria os pré-requisitos para reforço próximo ao nível superior. Por outro lado, para evitar a corrosão da estrutura, ela deve ser protegida de influências externas por uma camada de concreto.

Importante! A distância ideal de reforço para a fundação é de 5 cm da superfície.

Como é impossível prever o progresso da deformação, as zonas de extensão podem ocorrer tanto na parte inferior (quando o meio se inclina para baixo) quanto na parte superior (quando o quadro se curva). Procedendo a isso, o reforço deve passar de baixo para cima por um reforço com diâmetro de 10 a 12 mm, e esse reforço para uma fundação de tira deve ter uma superfície nervurada.

Isso faz o contato perfeito com o concreto..

Zonas de alongamento podem ocorrer em qualquer lugar da fundação.

Zonas de rodapé

As demais partes do esqueleto (hastes transversais horizontais e verticais) podem ter uma superfície lisa e um diâmetro menor.
Ao reforçar uma fundação de tira monolítica, cuja largura geralmente não excede 40 cm, é permitido o uso de 4 hastes de reforço (10-16 m) conectadas a uma estrutura com um diâmetro de 8 mm.

Importante! A distância entre as hastes horizontais (com uma largura de 40 cm) – 30 cm.

A fundação da fita possui, com um comprimento grande, uma largura pequena; portanto, a tensão longitudinal aparecerá nela, enquanto não haverá nenhuma transversal. Daí resulta que as hastes verticais e horizontais transversais, que serão suaves e finas, são necessárias apenas para criar uma estrutura e não para suportar cargas.

Ângulos precisam de atenção especial

O reforço de canto precisa de atenção especial

Atenção especial deve ser dada aos cantos de reforço: há casos em que a deformação ocorre não no meio, mas nas partes dos cantos. Os cantos devem ser reforçados para que uma extremidade do elemento de reforço dobrado entre em uma parede e a outra na outra.
Os especialistas aconselham as bielas usando fio. Afinal, nem todo tipo de reforço é feito de aço que pode ser soldado. Porém, mesmo que a soldagem seja aceitável, geralmente surgem problemas que podem ser evitados com o uso de um fio, por exemplo, superaquecimento do aço, levando a uma alteração nas propriedades, afinamento da haste no local da solda, resistência insuficiente da solda, etc..

Diagrama da estrutura de reforço

O reforço começa com a instalação da cofragem, cuja superfície interna é revestida com pergaminho, o que permite simplificar a remoção da estrutura no futuro. A criação de um quadro é feita de acordo com o esquema:
1. Barras de reforço com comprimento igual à profundidade da base são introduzidas no solo da vala. Mantenha uma distância de 50 mm da cofragem e um passo de 400-600 mm.
2. Nos suportes do conjunto inferior (80-100 mm), nos quais é necessário colocar 2-3 roscas da linha inferior de reforço. Os tijolos montados na borda são bastante adequados como suportes.
3. A linha superior e inferior das conexões são fixadas juntamente com os jumpers transversais aos pinos verticais.
4. No cruzamento, prenda com arame ou solda.

Importante! A distância para as superfícies externas da futura fundação deve ser rigorosamente observada. Faça melhor com tijolos. Essa é uma das condições mais importantes, pois estruturas metálicas não devem ser baseadas diretamente no fundo. Devem ser levantadas pelo menos 8 cm acima do solo.

Padrão de reforço

Reforço de fundação em tira

Após a instalação dos acessórios, resta fazer orifícios de ventilação e despejar argamassa de concreto.

Você precisa saber!
Os orifícios de ventilação não apenas contribuem para aumentar as características de amortecimento da fundação, mas também evitam o surgimento de processos putrefativos.

Cálculo do consumo de material

Para executar o cálculo da base da tira, é necessário conhecer alguns parâmetros com antecedência. Considere um exemplo. Suponha que nossa fundação tenha uma forma retangular e as seguintes dimensões: largura – 3,5 metros, comprimento – 10 metros, altura de fundição – 0,2 metros, largura da correia – 0,18.
Primeiro de tudo, você precisa calcular o volume total da fundição, para o qual precisa descobrir as dimensões da base como se ela tivesse a forma de um paralelepípedo. Para fazer isso, faremos algumas manipulações simples: descobriremos o perímetro da base e multiplicaremos o perímetro pela largura e altura da peça fundida.
P = AB + BC + CD + AD = 3,5 + 10 = 3,5 + 10 = 27
V = 27 x 0,2 x 0,18 = 0,972

Mas o cálculo da fundação monolítica não termina aí. Aprendemos que a própria base, ou melhor, a fundição, ocupa um volume arredondado igual a 0,97 m3. Agora você precisa descobrir o volume da parte interna da fundação, ou seja, do que está dentro da nossa fita.

Obtemos o volume do “preenchimento”: multiplicamos a largura e o comprimento da base pela altura da fundição e descobrimos o volume total:
10 x 3,5 x 0,2 = 7 (metros cúbicos)
Subtraia o volume do elenco:
7 – 0,97 = 6,03 m3

Resultado: o volume da fundição é de 0,97 m3, o volume interno da carga é de 6,03 m3.

Agora você precisa calcular a quantidade de reforço. Digamos que o diâmetro será de 12 mm na fundição – 2 roscas horizontais, ou seja, 2 hastes e, verticalmente, por exemplo, as hastes estarão localizadas a cada meio metro. O perímetro é conhecido – 27 metros. Então multiplicamos 27 por 2 (barras horizontais) e obtemos 54 metros.

Hastes verticais: 54/2 + 2 = 110 hastes (108 intervalos de 0,5 me dois nas bordas). Adicionamos mais uma haste ao canto e obtemos 114 barras.
Digamos que a altura da haste seja de 70 cm, ou seja: 114 x 0,7 = 79,8 metros.

O toque final é a cofragem. Suponha que vamos construí-lo a partir de tábuas com 2,5 cm de espessura, 6 metros de comprimento e 20 cm de largura.
Calcule a área das superfícies laterais: multiplique o perímetro pela altura de fundição e depois por 2 (com uma margem, sem levar em conta a diminuição do perímetro interno contra o externo): (27 x 0,2) x 2 = 10,8 m2
Área da placa: 6 x 0,2 = 1,2 m2; 10,8 / 1,2 = 9
Precisamos de 9 pranchas com 6 metros de comprimento. Não se esqueça de adicionar placas para conexão (a seu critério).

Resultado: é necessário 1 m3 de concreto; Agregado de 6,5 m3; 134 metros de acessórios e 27 metros lineares de tábuas (20 cm de largura), parafusos e barras. Os valores mostrados são arredondados..

Resumo do trabalho

Os resultados do trabalho meticuloso de solução

Agora você sabe, não apenas como reforçar adequadamente a fundação da tira, mas também como calcular os componentes necessários. E isso significa que a base construída por você será confiável e forte, permitindo a construção de estruturas monolíticas de qualquer configuração.

logo

Leave a Comment